Arrependimento

Arrependimento

O arrependimento é uma das mensagens principais e centrais da Palavra de Deus. Do antigo ao novo testamento vemos Deus chamando seu povo a se arrepender e se voltar à Ele. Jesus começou seu ministério falando de arrependimento, os apóstolos seguiram com essa mensagem e nós? E nos dias de hoje? Temos visto essa mensagem esfriar a ponto de quase não ser falada ou temos dado a devida importância e ela?

Você sabe por que Deus insistiu e ainda insiste tanto em chamar seu povo ao arrependimento? Porque Ele nos ama tanto, e não quer que ninguém morra ou pereça. 


Não tenho certeza de que o arrependimento que vivemos (eu me incluo nessa), ou que aprendemos (talvez) seja o
verdadeiro arrependimento bíblico. Ele é um processo duplo: começa na mente (suspiro, lastimo, repenso, reconsidero, tenho meu entendimento mudado); e depois se torna uma ação (me viro em direção oposta). Estou caminhando em uma direção, quando Jesus toca minha vida, minha mente começa a ser mudada, eu paro (repenso, reconsidero) e me viro totalmente, NA DIREÇÃO OPOSTA (180º) da qual estava antes (exemplos: Paulo, Zaqueu).

Não se trata apenas de parar de pecar, ou de nunca mais fazer a mesma coisa. além disso, devemos seguir na direção oposta.


Mas a raiz de distorção do arrependimento é muito antiga e mais profunda do que imaginamos. A igreja cristã se transformou na Igreja católica nos primeiros séculos e, logo foi criada a confissão auricular, na qual o pecador confessava seus pecados a um sacerdote (padre) e, ele, não só perdoava os pecados, como também ordenava uma penitência (práticas, obras que a pessoa deveria fazer para a expiação do erro confessado). As penitências mais comuns eram
jejuns, orações, esmolas, vigílias, peregrinações, boas obras, leitura da Bíblia, entre outras. Ficou tão pasmo quanto eu?

Percebe como a necessidade do verdadeiro arrependimento começou a ser diminuída e substituída por obras externas há muito mais tempo que podemos pensar? O arrependimento passa de mensagem principal a mensagem secundária, e segue assim, porque não atrai muitos discípulos. “Eu não quero me arrepender e mudar, eu quero mesmo um evangelho de soluções para os meus problemas de saúde, emocionais e financeiros.” Você não?

 

Arrependimento custa um alto preço, custa vida, porque a gente tem que morrer pra nós mesmos. Custa submissão e reconhecimento da nossa condição de insuficiência. Custa abandonar um lugar de conforto. E a gente não quer isso. Na boa, não é só a gente que não quer. Você acha que Satanás quer o seu arrependimento? Você acha que ele vai facilitar as coisas pra você seguir nesse caminho? Ele quer mesmo é que você morra.

Em Êxodo 13.17, lemos “Quando Faraó finalmente deixa o povo sair, Deus os leva pelo caminho mais longo, porque se tivessem que enfrentar uma guerra talvez se arrependessem e voltassem pro Egito”. Deus sabia que se eles enfrentassem uma guerra, DESISTIRIAM DE SAIR DO LUGAR DE ESCRAVIDÃO, DESISTIRAM DA SUA LIBERDADE, DA VIDA, PARA RETORNAR PRA MORTE, PORQUE É MAIS FÁCIL! Será que esse não é um dos motivos pelos quais resistimos tanto a uma vida de arrependimento?


A boa notícia é que o arrependimento vem de Deus, a Sua graça nos conduz ao arrependimento
(Rm2.4). O próprio Senhor nos convence e nos dá uma força para fazermos o que antes não podíamos fazer (Fp2.13).  

A revelação da santidade de Deus cria o fardo de culpa. Depois, a GRAÇA capacita a pessoa carregada de culpa e de coração quebrantado a se arrepender. (SL 32:3-5; Pv 28:13)


Para o verdadeiro arrependimento, primeiro eu preciso reconhecer que pequei contra o Senhor. Começa dentro de mim, eu sei que estou errado e que estou caindo e não posso me salvar. Só Deus que é Santo, Justo e Misericordioso pode me salvar. Então, confesso meu pecado diante Dele, fico constrangida, triste, enojada, sentindo uma repulsa por aquela situação
(Salmo 51). Depois, diante da santidade do Senhor, da revelação de quem Ele é, eu retorno à minha condição de criatura, de insuficiência, e me volto para Ele – só Ele pode me salvar! (nessa hora me virei totalmente de costas para o pecado, estou prostrada aos pés do Senhor, com todo meu ser voltado para Ele).


E, depois disso, começa uma nova vida, deixando as obras mortas para trás, seguindo um novo caminhar, um novo pensar,
“Produzindo, pois, frutos dignos de arrependimento” (Mt 3:8 e Lc 3:8). 

Arrependimento é uma mudança de mente que leva a uma mudança de atitudes. Se me arrependi, as obras que eu praticava antes, não pratico mais. Não apenas deixo de praticar, mas me aparto das obras mortas (Gl5.19-21). E então, pratico novas coisas totalmente opostas, frutos dignos de arrependimento (Gl5.22 e Ef4.25-32).


Que o Senhor venha se revelar a nós, nos constrangendo com Sua santidade, bondade e misericórdia. Que possamos nos arrepender, reconhecendo diante Dele nossa fraqueza, nossa insuficiência, nossa sujeira. Que Ele possa lavar nossas vestes e nos capacitar para fazer tudo aquilo que não podíamos fazer antes, na dependência do Seu poder que atua em nós.  

TALVEZ SEUS AMIGOS PODEM GOSTAR DISSO TAMBÉM

Outros que você pode gostar

PARTICIPE DA CONVERSA, DEIXE COMENTÁRIO!

DESCUBRA O CRISTIANISMO EM

6 SEMANAS

Diga sim a essa jornada incrível!
Você receberá um e-mail por semana, com conteúdo prático e de fácil leitura.